Ó MARIA CONCEBIDA SEM PECADO, ROGAI POR NÓS QUE RECORREMOS A VÓS!

sábado, 8 de dezembro de 2018


08 DE DEZEMBRO – SOLENIDADE DA IMACULADA CONCEIÇÃO DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA


Pintura representando a proclamação do dogma da Imaculada
Conceição pelo Bem-aventurado Pio IX

PIO IX E A IMACULADA CONCEIÇÃO


Hoje é 8 de dezembro de 1965. Eu leio um documento do tempo do Papa Pio IX [agora bem-aventurado], de 8 de dezembro de 1854. É a Bula Ineffabilis Deus.

'A nossa boca está cheia de alegria e nossos lábios de exultação; e damos e daremos sempre as mais humildes e mais vivas ações de graça a Nosso Senhor Jesus Cristo por nos haver conseguido a graça singular de podermos – embora imerecedor – oferecer e decretar esta honra, esta glória e este louvor à Sua Santíssima Mãe. E depois reafirmamos a nossa mais confiante esperança na Beatíssima Virgem que, toda bela e Imaculada, esmagou a cabeça venenosa da crudelíssima serpente e trouxe a salvação ao mundo. Naquela que é a Glória dos profetas e dos apóstolos, Honra dos mártires, Alegria e Coroa de todos os santos, seguríssimo Refúgio, fidelíssimo Auxílio de todos os que estão em perigo; poderosíssima Mediadora e Reconciliadora de todo o mundo junto a Seu Filho Unigênito, fulgidíssima beleza e ornamento da Igreja e sua solidíssima defesa. Reafirmamos a nossa esperança naquela que sempre destruiu todas as heresias, salvou os povos fiéis de gravíssimos males de todos os gêneros e a nós mesmo tem livrado de tantos perigos que nos ameaçam.

Mitra utilizada pelo Papa Pio IX
na missa de proclamação do dogma
da Imaculada Conceição
Confiamos que Ela queira, com a Sua eficacíssima proteção, fazer com que nossa Santa Madre Igreja Católica, superando todas as dificuldades e desbaratando todos os erros, prospere e floresça cada dia mais, no meio de todos os povos e em todos os lugares(...)'


A importância do emprego de frases longas e do uso de superlativos

Este trecho, que creio causar um pouco de estranheza às gerações de hoje, é condenado pelo estilo literário comum por duas razões especiais: em primeiro lugar, frase muito longa e, em segundo lugar, superlativa.


Tenho a impressão que esse trecho se reduz a umas três frases. E o estilo de hoje gosta de frases curtas e com poucos superlativos. Entretanto, o mérito da frase longa consiste em relacionar uma série de pensamentos numa só sentença. E o mérito dos superlativos – quando são bem aplicados – é de quebrar os padrões comuns dentro dos quais nós nos movemos e de fazer entender que as realidades profundas são as realidades superlativas, aquelas para as quais a linguagem humana só encontra uma referência superlativa. Tudo aquilo que é invisível, tudo aquilo que é sobrenatural, tudo aquilo que, portanto, é imensamente maior do que a ordem visível na qual nós nos movemos, tudo isso é tão maior do que nós que a linguagem só se refere a isto em termos superlativos.
Papa Pio IX e a proclamação do dogma da Imaculada
Conceição de Maria Santíssima (ilustração)

E se isto é verdade em relação a tudo quanto é invisível, é particularmente verdade em relação a Nossa Senhora que é a Rainha de todas as coisas visíveis e invisíveis, e que está acima de todo o visível e invisível. E que por causa disto, tendo acima de si apenas Deus, todos os superlativos estalam e não temos em nossa linguagem nenhuma referência, nenhum modo de exprimir adequadamente os predicados dEla. De maneira que, acumulando superlativos uns em cima dos outros, afirmamos a insuficiência de todos eles para dizer aquilo que deve ser dito. E aí, à maneira de ensaio, à maneira de artifício, de estratagema, nós conseguimos de algum modo dar a entender o que a nossa mente concebe a respeito da grandeza de Nossa Senhora.

Glória e privilégios de Nossa Senhora


[O Beato] Pio IX reúne uma série de ideias dentro dessas frases grandes. Porque são círculos cada uma dessas frases, uma espécie de diadema em que há toda uma série de joias para ornar a coroa de Nossa Senhora. Ele dá algumas ideias sucessivas a propósito da Imaculada Conceição, fazendo-nos ver que enquanto concebida sem pecado original – e concebida sem o pecado original na previsão de ser Mãe de Deus –, Ela tem um cúmulo de glória de todas as ordens. E é isto que ele faz ver neste trecho. Os senhores acompanham o método do pensamento dele, lendo mais vagarosamente o texto.

Giovanni Paolo Cardone, Immacolata Concezione
e santi, 
fim do século XVI. Óleo sobre tela(Foto: Museu Franciscano Virtual)

Primeiro há uma ação de graças pelo fato de ele ter sido o escolhido, como Papa, para definir o dogma da Imaculada Conceição. Então diz: 'nossa boca está alegre'. Ele diz 'está cheia, está repleta de alegria'. Porque todo o texto é superlativo. E, realmente, não há boca humana que possa conter suficiente alegria pelo fato de ter sido a Imaculada Conceição definida, tanto mais na boca daquele homem que foi chamado a ser o Príncipe dos Pastores e sucessor de São Pedro!

Bem, e os lábios de Pio IX estão cheios do quê? De alegria! De uma super alegria: exultação. A boca está cheia de alegria e os lábios estão cheios de exultação. Quer dizer, uma alegria que sai da boca para fora, que inunda os lábios e que na flor dos lábios se transforma em exultação. Alegria por quê? Porque a Imaculada Conceição de Nossa Senhora foi definida, e porque ele foi o instrumento da definição.


Ele continua: 'e damos e daremos sempre as mais humildes e as mais vivas ações de graças a linguagem é sempre fácil: 'damos e daremos as mais vivas ações de graças, as mais humildes', é tudo superlativo – a Nosso Senhor Jesus Cristo, por nos haver concedido a graça singular – não é uma graça qualquer, é uma graça singular, que não tem seu igual – de podermos, embora imerecedor, oferecer e decretar esta honra, esta glória e este louvor à Sua Santíssima Mãe'.


Os senhores vejam o que é a grandeza de um Papa, o que é a grandeza do pontificado romano, o que é o poder das Chaves. Nossa Senhora está acima de todos os Anjos, de todos os Santos. Ela está como que sentada em um trono ao lado de Nosso Senhor Jesus Cristo. Pois bem, um Papa, um simples homem vivo nesta terra pôde dizer isto: que ele ofereceu e decretou esta honra, esta glória e este louvor à Santíssima Mãe de Deus. Quer dizer, o poder das chaves lhe deu o meio de colocar um diadema na fronte daquela que está tão acima dele! Isto é o imenso poder do papado, as imensas atribuições do papado e a imensa grandeza do papado!

Esse é o primeiro pensamento. Agora vem outro pensamento.


Nossa Senhora por ser Imaculada e, enquanto Imaculada bela, esmagou a cabeça do demônio

'E depois reafirmamos a nossa mais confiante esperança na nossa Beatíssima Virgem, que toda bela e imaculada esmagou a cabeça venenosa da crudelíssima serpente, e trouxe a salvação do mundo'. É a primeira parte da frase. A frase continua depois, mas o pensamento está muito claro!


Nossa Senhora – por ser Imaculada e enquanto Imaculada –, bela, esmagou a cabeça do demônio. Os senhores veem que as ideias são inseparáveis. O Papa pensa na beleza de Nossa Senhora, no poder dela. Ele pensa imediatamente, por contraste, na hediondez do demônio, pensa no demônio enquanto esmagado por Ela. Quer dizer, Sua beleza não seria inteira, uma vez que há o demônio, a não ser que essa beleza fosse uma beleza triunfal, esmagadora sobre o demônio. O demônio é o escabelo necessário dos pés dela; uma vez que Ela é tão pura, uma vez que Ela é tão linda, não bastaria que todas as criaturas deste mundo e do Céu e do Purgatório A homenageassem. Mas era preciso que o inimigo estivesse quebrado aos pés dela. Então, a ideia completa da glória dela envolve logo a ideia do demônio babando, estraçalhado, humilhado, com o rosto no chão, porque Ela quis e porque foi Ela o instrumento de Deus para liquidá-lo. Isto faz parte da beleza dela.


Isto é muito, porque é mais uma manifestação da ideia de que o homem só apreende todo o fulgor da verdade, todo o fulgor da beleza e todo o fulgor do bem, quando é colocado em contraste com o erro, com o mal e com a feiura. Isso numa imagem da Imaculada Conceição fica muito claro!


Sua intercessão pelo pecador arrependido

A Trindade e a Imaculada Conceição
  (Garofalo - Pinacoteca di Brera)

Bem, depois diz: 'nisto nós confiamos nela'. Então porque Ela é bela, imaculada, mas porque também esmaga o demônio. Se nós nos lembrássemos disso nas horas de tentação! Estamos tentados, o demônio está procurando nos levar para o mal, temos medo de fracassar, de pecar e, infelizmente – que Deus nos livre – digamos que algum tenha pecado. Nossa Senhora esmagou a cabeça do demônio e pode, portanto, arrancar qualquer pecador das garras do demônio, pode afastar qualquer alma tentada da influência, do império do demônio. Como isto é uma razão de confiança e como isto deve dar alento à nossa vida espiritual!


Primeiro: Nossa Senhora enquanto Imaculada, enquanto bela e imaculada, esmagou a cabeça do demônio.


Segundo: Ela enquanto Imaculada é a glória dos profetas e dos apóstolos, honra dos mártires, alegria e glória de todos santos. Quer dizer, Ela não só esmagou o demônio, mas é a alegria e a beleza do Céu.


Terceiro: Ela é o seguríssimo refúgio e fidelíssimo auxílio de todos os que estão em perigo. Os senhores estão vendo o que Ela é: não é o refúgio seguro, não é o auxílio fiel. É um refúgio seguríssimo, um auxílio fidelíssimo dos que estão em perigo. Que relação tem isso com a Imaculada Conceição? Nossa Senhora, que não teve esse perigo e que foi confirmada em graça desde o primeiro instante de seu ser, quanta pena terá dos filhos que Ela vê por esse mundo, sujeitos a todos esses riscos! Não há uma mãe católica verdadeira pelo mundo, que não tenha hoje em dia o coração nas mãos continuamente pelo medo do que pode suceder a seu filho. Ora, Nossa Senhora quanto melhor mede isso! Quanto melhor vê isso! Quanto mais – entre aspas – podemos dizer que Ela se 'aflige' com a nossa situação, tanto mais certeza podemos ter de ser socorridos. Isto é o que está entendido aqui.

Ilustração da consagração de Portugal e seus domínios, por D. João IV, a Nossa
Senhora da Conceição de Vila Viçosa como Rainha de Portugal, ano de 1646
(Foto: Senza Pagare)

Ela é 'poderosíssima mediadora e reconciliadora de todo o mundo junto a seu Filho Unigênito'. Aqui vem um pensamento que não é mais dos indivíduos, mas da sociedade humana como tal, da humanidade inteira, dos Estados, das nações, da ordem pública que Ela reconcilia.


Sua proteção à Igreja e intercessão poderosa contra as heresias


'Fulgidíssima beleza e ornamento da Igreja e sua solidíssima defesa'. Então, Ela é o terror dos demônios, a honra e a glória do Céu, a proteção dos homens e o ornamento da Igreja. Por que? Porque a Igreja é um paraíso, é uma prefigura do paraíso celeste e se Ela é a honra do paraíso celeste, tem que ser a honra da Igreja Católica também.


E continua: 'reafirmamos a nossa esperança naquela que sempre destruiu todas as heresias. Todas, inclusive as que mais possam nos angustiar. Salvou os povos fiéis de gravíssimos males de todo gênero – inclusive dos males que mais possam nos alarmar, e a nós mesmos tem livrado de tantos perigos que nos ameaçam. Confiamos que Ela queira, com sua eficacíssima proteção, fazer com que nossa Santa Madre Igreja Católica, superando todas as dificuldades, inclusive as menos esperadas e mais tremendas'. Depois: 'esmagando todos os erros' – mesmo aqueles que incidentemente a gente pode conter num amplexo, como o que os jornais apresentavam hoje - , 'prospere e floresça cada vez mais no meio de todos os povos e em todos os lugares'.

Imaculada Conceição rodeada pelos santos: S. Francisco
de Assis, Santa Clara de Assis, S. Bernardinho de Siena,
S. Boaventura, S. Antônio de Pádua e Santa Margarida de
Cortona (Scuola Ecclesia Mater)

Nossa Senhora, a conversão do mundo e o Reino de Maria


Esta afirmação do prosperar da Igreja no meio de todos os povos e em todos os lugares parece quase o antegozo do Reino de Maria.


O que nós devemos pedir a Nossa Senhora hoje? Tenho a impressão de que devemos dizer a Ela: venha a nós o Vosso Reino, seja feita a Vossa Vontade, assim na terra como no Céu. Nós devemos pedir a Ela que Seu Reino venha logo e que cesse este estado de coisas em que a vontade dEla não é feita na terra, em que os homens não cumprem mais Sua vontade, em que mesmo onde mais se poderia esperar que a vontade dEla fosse cumprida, esse cumprimento não existe. O reino dEla na terra é isso.




__________Plinio Corrêa de Oliveira, “Santo do Dia – 08 de dezembro de 1965





USE A MEDALHA MILAGROSA



Receba o conteúdo deste blog gratuitamente. Cadastre seu e-mail abaixo.



FONTE: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/DIS_SD_651208_Pio_IX_e_a_Imaculada_Conceicao.htm (O título é nosso e o texto foi revisto e atualizado)

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018


SÃO JOÃO BOSCO E A COLUNA DA IMACULADA CONCEIÇÃO NA PRAÇA DE ESPANHA, EM ROMA, MANDADA ERGUER PELO BEM-AVENTURADO PAPA PIO IX


No dia 8 de dezembro, na Piazza di Spagna, a coluna da Imaculada Conceição
 é especialmente adornada pelos fieis. Logo pela manhã desse mesmo dia,
os bombeiros colocam uma coroa de flores no braço da imagem,
que permanece até a mesma festa no ano seguinte.

A definição dogmática da Imaculada Conceição é um dos mais assinalados acontecimentos da história da Igreja. Uma soberba coluna erguida na Praça de Espanha, em Roma, consagra para sempre a memória deste fato tão glorioso a Maria.

As quatro colossais estátuas de Moisés, de Davi, de Ezequiel e de Isaías circundam o pedestal, e suas profecias evocam à mente o grande mistério definido por Pio IX.
Beato Papa Pio IX

O referido pedestal é adornado com dois baixos-relevos. Um representa São José sendo advertido pelo Anjo, durante o sono, sobre o mistério da Encarnação; o outro, Pio IX proclamando o dogma.

Sob o primeiro baixo-relevo estão escritas as simples mas sublimes palavras da angélica saudação: “Ave, ó cheia de graça, o Senhor é convosco, bendita sois Vós entre todas as mulheres”.


Estátua do Profeta Isaías

Do lado oposto se lê:


Mariae Virgini Genitrici Dei

ipsa origine

ab omni labe immuni

Pius VIIII. P. M.

Insignis praeconii

fide confirmata

Decreto Q. D. S. VI ID. DEC.

AN. MDCCCLIIII.

PONEND. CURAVIT

AN. SUI PRINCIP. XII.


[tradução:] “À Virgem Maria, Mãe de Deus, imune de qualquer mancha desde sua origem, Pio IX, Soberano Pontífice, após haver confirmado com decreto de oito de dezembro, a fé neste insigne privilegio, pôs este monumento a expensas do universo católico, no décimo segundo ano de seu Sagrado Pontificado”.
Estátua do Profeta Ezequiel

A estátua de Isaías tem como legenda estas palavras do profeta: “Ecce Virgo concipiet – Eis que uma virgem conceberá’” (Is. VII, 14).


Sob o pedestal da estátua de Ezequiel se lê: “Porta haec clausa erit – Esta porta permanecerá fechada” (Ez. XLIV, 2).


Moisés abre o livro da Gênese e profetiza a eterna luta entre o inferno e o Céu: “Inimicitias ponam inter te et muliere – Eu porei inimizades entre ti e a mulher” (Gen. III, 15).


Ora, a mulher inimiga da serpente não é apenas Maria, mas também a Igreja, da qual a Virgem é a personificação. “A Igreja também Ela é a sede da Sabedoria” e também a Mãe de Cristo, dado que o cristão, como diz Tertuliano, é um outro Cristo.
Estátua do profeta Davi


Em nossos dias, a inimizade está em seu ápice, a luta é ardorosa. Mas o pé vencedor que esmaga a cabeça da serpente nos pressagia uma vitória tão gloriosa quanto infalível.


Nós (São João Bosco se refere a si) tivemos a ventura de visitar, na igreja de São Boaventura (em Roma), o quarto do Bem-aventurado (hoje Santo, n.d.t.) Leonardo de Porto Maurício que predisse este triunfo em uma carta ora célebre.

Estátua de Moisés

O exemplo de Roma, mãe e mestra de todas as igrejas, despertou no mundo inteiro o ardor e o zelo dos filhos de Maria. Vimos germinar uma quantidade enorme de monumentos, de altares, de santuários, de igrejas, de estátuas destinadas todas a perpetuar a memória do grande ato de 8 de dezembro de 1854 (proclamação do dogma da Imaculada Conceição, n.d.t.), e a ereção da coluna erguida por Pio IX na Piazza di Spagna foi também o sinal ao qual todo o orbe se apressou em responder com aquela riqueza de monumentos que espontaneamente cobriu o mundo (cfr. op. cit., pag. 43-49 in “Opere Edite”, Libreria Ateneo Salesiano, Roma, 1977).




                                      ________Da obra “Fatti ameni della vita di Pio IX raccolti da pubblici documenti” (Don Giovanni Bosco, Torino, 1871)






USE A MEDALHA MILAGROSA




Receba o conteúdo deste blog gratuitamente. Cadastre seu e-mail abaixo.




FONTE: https://www.pliniocorreadeoliveira.info/Imaculadaconceicao_20131208_coluna_pracadeespanha.htm (Texo revisto e atualizado, alguns destaques sãp nossos)